TRABALHO COLABORATIVO

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ir em baixo

Ensino-aprendizagem e as TIC

Mensagem por Mylena Cerqueira em Sex Mar 30, 2018 9:23 pm

O uso das tecnologias em sala de aula ainda é inviabilizado pela falta de equipamentos na maioria das escolas, como também pelo receio de alguns professores de trabalharem com as ferramentas digitais juntamente com os alunos.
O receio dos professores diante da utilização dessas ferramentas digitais advém do aprendizado de práticas pedagógicas voltadas para velhos paradigmas que não abrangem esse momento onde a comunicação via internet vem gerado mudanças, inclusive na aprendizagem. Considerando a importância de uma relação entre o universo cultural dos alunos e a prática docente, fica evidente a necessidade da aplicação dessas novas multimodalidades.
A utilização de ferramentas digitais que concedem uma dialogicidade autônoma entre os alunos permitirá que os mesmos possam se posicionar de maneira independente, adquirindo novos conhecimentos e aprendendo a lidar com diferentes pontos de vistas acerca de variados assuntos. Sendo assim, o aluno deixará de ser uma figura passiva no processo de ensino-aprendizagem.
E além de permitir esse processo de comunicação entre os discentes diante de algum material de aprendizado, também haverá uma maior aproximação com os assuntos discutidos, o que irá refletir na sua capacidade crítica.
No texto (4) Co-laborando o aprendizado autônomo, podemos perceber que uma das dificuldades de se aplicar as comunidades virtuais na sala de aula, está no processo de ensino-aprendizagem de maneira passiva, o que dificulta o posicionamento crítico dos alunos. Dessa forma, seria melhor aplicar a prática do interacionismo. De acordo com Luciano Amaral (2010), no interacionismo o processo de aprendizado se dá através da interação entre “o aprendiz, os elementos de sua natureza biológica e o meio sociocultural em que ele está inserido” (p.28). Assim o professor deverá não se impor de maneira erudita, criando um ambiente agradável, contribuindo ainda mais para a aprendizagem do aluno.
ALVES, Lynn. JAPIASSU, Ricardo. HETKOWSKI, Tânia Maria. Trabalho colaborativo na/em rede. Disponível em:<http://comunidadesvirtuais.pro.br/colaborativo/04.htm>. Acesso em: 30/03/2018.
OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.
avatar
Mylena Cerqueira

Mensagens : 5
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Acsa Santana em Sex Mar 30, 2018 9:47 pm

Sara Ramos escreveu:
Na sociedade moderna usamos a escrita e a leitura, os signos mediadores o tempo todo em práticas muito diferenciadas, inclusive que não são valorizados pela escola. Em nossas práticas sociais nos comunicamos não apenas por meio de palavras, mas também de sinais, gestos e imagens, entre outros recursos que configuram a comunicação como um evento multimodal que agrega diversos modos e recursos, independente do meio pela qual ela se realize, seja oral ou escrito, impresso ou digital. As múltiplas linguagens, ou multimodalidades, estão envolvidos em toda produção ou leitura dos textos e cada modalidade tem suas potencialidades de representação e de comunicação, produzidas culturalmente. Ao utilizarmos esses recursos de aprendizagem, na tentativa de buscar formas de falar com imagens, vídeos e outras formas de diálogo, estabelecemos uma relação (multimodalidade). Não há como negar que avanços nas Tecnologias Digitais da Comunicação e Informação têm proporcionado mudanças consideráveis em nossa sociedade em diferentes aspectos, tais como pessoal, social, cultural e educacional. Há a necessidade de que a tecnologia seja discutida como um meio, não um fim, e isso nos remete ao letramento digital relacionada à capacidade de os indivíduos utilizarem as tecnologias digitais em ambiente educacional com o objetivo de facilitar o processo de ensino-aprendizagem, buscando mostrar a importância das tecnologias digitais da comunicação e informação como novas formas de mediar o conhecimento e do próprio educando selecionar sua forma de educação, havendo autonomia e voz dentro da sala de aula numa relação colaborativa com seu educador e colegas. Razz

Concordo com você Sara, principalmente quando diz que "nas práticas sociais, nos comunicamos não apenas por meio de palavras, mas também por meio de sinais, gestos e imagens", é importante entender isso, para que no processo de ensino/aprendizagem, não haja equívocos ao analisar sugestões externas a escrita, para serem utilizadas e valorizadas no ambiente escolar.
avatar
Acsa Santana

Mensagens : 4
Data de inscrição : 21/03/2018
Idade : 21

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Jéssica Oliveira em Sab Mar 31, 2018 8:33 pm

Acsa Santana escreveu:Os seres humanos diferente dos animais criam a todo instante, novas formas de comunicação, por meio das TCI (Tecnologias, informações, e comunicações) pode-se perceber que esse surgimento é constante, fazendo com que as tecnologias por mais que sejam úteis, estejam em movimento de evolução, fazendo com que o termo “novas  tecnologias” se torne praticamente inutilizável. É nessa linha de pensamento que um profissional da educação juntamente com a instituição em que ensina, analisem a importância da inserção de métodos colaborativos/educativos na escola, que levem meios de comunicação de Rede conhecidos e acessíveis aos alunos. Isso porque, se na sociedade externa a escola (externa a sala de aula), a frequência com que se usam tais meios é evidente, significa que estudantes devem ser preparados para utiliza-los, mas utiliza-los de forma a absorver conhecimento, não apenas fazer uso aleatório.
   No entanto ainda hoje, século XXI, há uma resistência ao método colaborativo baseado na utilização das tecnologias em sala, alguns obstáculos são encontrados por aqueles que as defendem, o ensino tradicional por ser o mais fácil, ainda é o mais utilizado, aquele em que há um professor, os alunos, o conteúdo a ser passado e o quadro... Os que mexem nesse sistema procuram demonstrar que o aluno não é uma tábula rasa, ou seja, os seus saberes tecnológicos, por exemplo, podem juntar-se aos saberes de outros e com isso gerar um saber coletivo. O processo é trabalhoso, por isso, aderi-lo se torna além de uma tarefa de coragem (mostrar que o professor não é autônomo no processo de ensino/aprendizagem. Pois seus alunos sempre saberão algo que ele não sabe), é também uma tarefa de demonstração e utilização de conhecimentos individuais, formando assim, pessoas criativas e pensantes, não apenas repetitivas e copiadoras.  Exclamation  
     
Concordo Acsa, porém apesar de todas as dificuldades encontradas por professores e mediadores da rede de ensino, deve-se procurar métodos para que aconteça essa adesão, sempre há uma forma de trazer as tecnologias para o processo de ensino e aprendizagem, até porque diante de tantos avanços na área tecnológica a não adesão desses novos métodos, inclusive da rede colaborativa, acaba afetando o processo de ensino e aprendizagem desses alunos.
avatar
Jéssica Oliveira

Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/03/2018
Idade : 25
Localização : Caém

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Jéssica Oliveira em Sab Mar 31, 2018 10:03 pm

Carla Gislene Oliveira escreveu:    As tecnologias perpassam o tempo, e cada vez mais estamos inseridos nesse contexto tecnológico.Uma modernização rápida, ampliando a possibilidade de inserção a novos conhecimentos.
   É notável o crescimento da comunicação através das redes digitais, principalmente pela internet. Relações que compartilham desde trocas intelectuais, sociais, conversas informais ,numa perspectiva coletiva para construir novas ideias, visto que, ninguém tem uma história igual à de outra pessoa.
  As tecnologias digitais ainda são resistentes a alguns profissionais da educação, talvez  pelas praticas pedagógicas continuarem pautadas em velhos paradigmas , onde o professor é o detentor do saber ou por não terem pratica no manuseio dessas. Assim, as tic  entram na escola apenas como dispositivos técnicos , o que não proporciona nenhuma mudança no processo educativo.
  O ciberespaço precisa ser concebido como lugar de inovação , de co-laboração social, politica e de mobilidade das praticas pedagógicas. Para tal, é preciso que o professor enquanto mediador, auxilie o usuário desse espaço a trabalhar com as informações de maneira consciente , construindo o conhecimento coletivamente.
  O trabalho colaborativo implica o desenvolvimento de processos interacionistas, que visam encorajar os sujeitos a atuarem em coletivo para a construção de diferentes conhecimentos e saberes. Não existe um único detentor do conhecimento, todos se alternam nos papeis de educadores e educandos , compartilhando informações ininterruptas e significáveis.
  Segundo o professor doutor Athail Rangel, todo aprendizado eficaz sempre resulta na construção de algum artefato passível de uso por parte de outros - uma anotação, uma mensagem eletrônica, uma imagem, ou um programa para computador,por exemplo.
  A atividade colaborativa mediada pelas redes digitais tem seus desafios, visto que, não é fácil transgredir um movimento "linear" de ensinar e aprender, construído ao longo da história.

Concordo com você Carla. Quando você fala nesses desafios, com certeza não é fácil a interação de vários sujeitos com diversos tipos de conhecimentos e assim como não é fácil é algo muito bom saber e perceber o quão essa diversidade é importante no desenvolvimento de cada sujeito dentro da sociedade
avatar
Jéssica Oliveira

Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/03/2018
Idade : 25
Localização : Caém

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Jéssica Oliveira em Sab Mar 31, 2018 10:11 pm

Priscilla Gomes Correia escreveu:No processo ensino-aprendizagem, as tecnologias precisam estar ao alcance de todos. Nessa nova fase de aprendizagem com integração das mídias, tudo começa a falar com tudo e com todos. Tudo pode ser divulgado em alguma mídia, todos podem ser produtores e consumidores de informações. O mundo físico se reproduz em plataformas digitais e todos os serviços começam a ter a possibilidade de serem realizados física ou virtualmente.
As mudanças que estão acontecendo na sociedade, mediadas pelas tecnologias em rede, são bem amplas, e com tudo isso acontecendo teremos que reinventar a educação como um todo.
As tecnologias permitem mudanças profundas e evoluem muito rapidamente. No universo virtual, todos em um clic se integram em redes formadas por quem tem interesses comuns. As redes sociais é um atrativo da comunicação que chega nas salas de aula, por essa razão, é preciso rever, ampliar e recontextualizar os conceitos de ensino. As redes sociais permitem que um mesmo objetivo de interesse seja debatido a partir de múltiplas vozes e que o conhecimento seja produzido de forma colaborativa.
Um dos desafios para o professor, é estabelecer com o estudante uma relação de ensino-aprendizagem que concilie os interesses deles com os objetivos pedagógicos, explorar o universo virtual no ambiente escolar possibilita também o acesso a conteúdos em formatos variados. Uma escola conectada à vida do aluno não pode descartar os recursos e as ferramentas tecnológicas e ela é permeada pela aprendizagem significativa, uma aprendizagem autônoma.
A atuação do professor deve objetivar a formação para a liberdade, buscar o desenvolvimento das potencialidades dos alunos para que se tornem indivíduos capazes, cidadãos conscientes e singulares. As tecnologias são parte de um processo muito mais rico e complexo, que é gostar de aprender e de ajudar a outros que aprendam numa sociedade em profunda transformação. Quanto mais a tecnologia avançada, mais a educação precisa de pessoas evoluídas e inovadoras.  
Very Happy Smile Razz
kkkkk verdade Priscilla, os professores que são mediadores e estão a frente dos alunos dentro da sala de aula, precisam está atentos e procurar evoluir dentro dessa era tecnológica ou podem servir de chacota pelos próprios alunos.
avatar
Jéssica Oliveira

Mensagens : 7
Data de inscrição : 19/03/2018
Idade : 25
Localização : Caém

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Realmente Cíntia, as redes sociais estão super presentes no dia a dia de todos, e os professores ainda tem um grande caminho a percorrer nesse uso das tecnologias.

Mensagem por Simone Luz Puglisel em Sab Mar 31, 2018 11:23 pm

Cíntia Espírito Santo escreveu:As tecnologias digitais invadiram o mundo moderno e a maneira de viver dos seres humanos em todo o mundo, trouxeram inclusive, novas maneiras para se trabalhar a educação no âmbito escolar. A internet tem fascinado o mundo com suas multifuncionalidades, apresentou ao mundo uma nova maneira de se comunicar e produzir conhecimento, o que de fato é muito útil, porém ainda não é bem vista por todos quando se trata de trabalhá-las em sala de aula, de fato, utilizar a internet e suas multifacetas não são suficientes para agradar aos alunos de um modo geral, uma vez que podem ter acessos a uma infinidade de jogos educativos e prazerosos, diferente  da tecnologia usada em sala de aula por seus educadores.
     O professor moderno enfrenta atualmente um grande dilema: utilizar a internet e agradar aos discentes, fazendo-os entenderem o assunto, o que faz com que o professor tenha ainda uma tarefa ainda mais complexa em sala. Porém fazer uso de atividades na rede pode fazer com que os alunos realizem um trabalho colaborativo, ajudando aos outros com seus conhecimentos e adquirindo novos, o que pode acontecer também com os seus tutores escolares.
     De fato, as redes sociais presentes no dia a dia de todos, já oferecem uma gama de conhecimentos extra classe o que ocasiona de o aluno algumas vezes chegar na escola com uma noção do assunto e às vezes até dominando certos temas, o que não é ruim pois pode proporcionar excelentes discursões em sala, uma vez que o aluno deve ser de fato o protagonista do seu aprendizado, cabe aqui o professor valorizar o aluno para assim apoiá-lo na busca pelo conhecimento.
     A aquisição de software livre pode ser muito útil, pois oferece vários recursos sem custos adicionais para seu uso, o que proporciona maior liberdade em seu uso, uma vez que o usuário pode realizar modificações, pois a partir do momento que adquire uma cópia ou realiza download do aplicativo ou programa, torna-se proprietário, o que proporciona  aos professores usarem no seu dia a dia escolar, transformando-o como desejar para melhor usar com seus alunos, essa liberdade pode deixar o aprendizado mais atraente e divertido.
     Vale ressaltar ainda que apesar de ter surgido na década de 1960, a internet ainda não é uma realidade para todos, apesar de estar difundida por todo o mundo, o que causa ai um novo tipo de desigualdade, a desigualdade de acesso à internet, neste caso, os alunos e professores enfrentam uma grande diversidade, de um lado um mundo conectado e com facilidades , de outro a dura realidade para adquirir novos saberes e concorrer em um vestibular por exemplo(no caso dos alunos), e ainda, a dura missão para os professores que precisam adequar-se à realidades diferentes para ajudar na aprendizagem de novos saberes.

Simone Luz Puglisel

Mensagens : 5
Data de inscrição : 19/03/2018
Idade : 33

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

O processo ensino-aprendizagem

Mensagem por Diana Santana em Dom Abr 01, 2018 12:40 am

Os textos apresentados falam de modo geral sobre a importância dos trabalhos em grupo, e do processo ensino- aprendizagem com a inclusão das TIC, onde alunos e professores sejam co-autores e tenham participação linear . E mostra as dificuldades que permeiam esse tipo de atividade.
O tempo passa, e o mundo está cada vez mais conectado, e o número de pessoas conectadas só aumenta. Resta saber, como fazer para usar essas tecnologias a favor da educação. No texto 1, Lèvy "pontua que a Rede jamais pensará por nós", mas pode auxiliar em nosso aprendizado de forma dinâmica e criativa. Mas nem sempre, a escola está preparada e adaptada para tais mudanças. No que diz respeito à interação, professor x aluno, é feita uma comparação com o ensino tradicionalista, onde o professor era detentor do conhecimento, e o aluno apenas objeto, e absorvia de "modo passivo", com "fórmula pronta" ( texto 4) e isso explica a dificuldade que o individuo tem de se expressar, o que o autor denomina de "imbecilização" mas a psicologia histórico-cultural, iniciada por Vygotsky, "defende que o aprendizado e o desenvolvimento tipicamente humanos só podem ocorrer a partir da internalização (interiorização) das funções interpsíquicas (entre sujeitos)" presente no texto 2. Além disso, vale citar a "co-laboração na/em rede" que pode "pode contribuir para a emancipação do sujeito engajando-o em um genuíno processo de construção autônoma de novos conhecimentos e saberes [...] de modo não submisso". Segundo OKADA, "a contribuição pessoal do aprendiz é fundamental para a construção do conhecimento. Isso faz com que o processo de aprendizado de todos ganhe maior amplitude e dimensão"(texto 4), e essa acão apenas favorece ao sujeito, que terá autonomia para escrever, ler e interpretar diversos tipos de textos. E no item 5, Johnson e Johnson, reafirma a importância de “aprender juntos [...] com um único objetivo em comum”.
No item (3) SACRISTÁN, discorre que "A prática educativa não começa do zero: quem quiser modificá-la tem de apanhar o processo 'em andamento.' ", ou seja, o aluno tráz uma bagagem, e o professor não pode descartá-lo, ao contrário, ele deve trabalhar levando esse conhecimento em consideração. E as TIC podem proporcionar uma melhor compreensão desse contexto educativo, e até influenciar "diante das múltiplas possibilidades de desenvolvimento da sua atuação na escola e fora dela."(SACRISTÁN)
Podemos perceber no item 3 que um dos obstáculos para a prática pedagógica é "o contexto organizacional desse ensino faz com que os professores desenvolvam trabalhos individuais e não coletivos", e por isso "as TIC entram na escola como dispositivos técnicos e as práticas pedagógicas continuam pautadas em velhos paradigmas, apenas com uma diferença: retira-se a centralidade do professor transferindo-a para as TIC". Um outro obstáculo encontrado, é a recusa dos professores em adaptar-se a essas mudanças, que, por serem diferentes, se transformam em algo complexo, e que exigem posturas autonomas, e muitas vezes está fora do contexto economico e cultural, daí surgem os "evadidos on-line"  justifica a literatura especializada. O papel do professor aí, é orientar, e adaptar as condições às necessidades que surgem conforme o andamento da aula. A exemplo disso, SILVEIRA trata sobre diferentes tipos de softwars e aplicativos que podem ser utilizados na sala, e cita aqueles que são gratuitos e podem ser alterados, copiados, e, principalmente, a custo zero. Como exemplo ele cita o Moodle, Linux, Equitext e wikipédia, todos de fácil acesso.
A temática do texto 5, abordada por Espinosa, diferencia o trabalho em grupo colaborativo "o conhecimento é construído conjuntamente e negociado, havendo um fluxo de comunicação bidirecional contínuo" e enquanto no cooperativo, onde "a comunicação pode ser unidirecional [...]quando algum aluno assume um papel de expertise, explicando determinadas idéias ao grupo, e em outros momentos é multidirecional, quando os membros do grupo buscam alternativas e tomam decisões". E, para que os alunos se transformem em formadores de idéias e se tornem independentes e até autodidatas, sabendo realizar trabalhos individuais e/ou coletivos, é necessário que sejam orientados na prática constante em sala de aula.
.

Diana Santana

Mensagens : 6
Data de inscrição : 19/03/2018
Idade : 32
Localização : JACOBINA

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Diana Santana em Dom Abr 01, 2018 12:48 am

Mylena Cerqueira escreveu:
Luciano Xavier escreveu:O mundo vem se tornando cada vez mais moderno e tecnológico, e isso não só acarreta inúmeros fatores no convívio social – por meio das redes globais – como também influencia diretamente no processo de ensino. Muitas informações circulam nas redes, e a todo instante recebemos inúmera delas. Os aparatos tecnológicos – os quais veiculam essas informações – aproximam pessoas que estão a milhares de quilômetros, e não se configuram mais como simples telas informantes, mas um meio interacionista em que o mundo virtual se constrói e fortifica-se a cada instante.
     Os laços que são construídos entre os usuários que compõem essa rede são tecidos de maneira que os conhecimentos e aspectos socioculturais – mesmo que distante – se cruzam, de modo a instaurar entre ambos uma situação “real” refletida nesse virtual emaranhado tecnológico. Como é percepível nessa passagem do texto Fundamentos histórico-culturais da atividade co-laborativa: "Na perspectiva cultural de interpretação do desenvolvimento humano portanto é a partir das complexas interrelações sociais (microgênese) e históricas (macrogênese), obrigatoriamente MEDIADAS pelo uso instrumental das ferramentas e signos ao longo da filogênese (percurso evolutivo inter-espécies) e da ontogênese (percurso desenvolvimental intra-espécie), que se criam enfim as condições materiais e imateriais para a co-laboração das funções psíquicas ‘superiores’ ou funções psíquicas culturais (a mnemotécnica, a imaginação criadora, a percepção descolada do campo perceptivo sensorial do sujeito, o pensamento verbal, por exemplo)".
     Considerando esse caráter sociocultural das redes, o processo educacional vem tecendo um novo olhar diante a essas novas ferramentas digitais. O uso das TIC em sala de aula se torna uma alternativa pertinente para os professores, uma vez que essas passam a incorporar o universo cultural dos alunos. No entanto, um número considerável de profissionais da educação ainda resiste a essas ferramentas, até mesmo pelo manuseio que nem sempre faz parte da rotina destes, ou até mesmo por que alguns professores apreendem as TIC/ciberespaços somente como uma diferença em sala de aula, e não como um instrumento transformador no processo de ensino. Deste modo, "O ciberespaço, deste ponto de vista, precisa então ser concebido como lugar de inovação, de co-laboração social, política e de mobilidade das práticas pedagógicas. Afinal, as práticas pedagógicas desenvolvem-se em contextos muito amplos, não são unívocas nem lineares; são fluidas e levam em consideração situações muito peculiares para o estabelecimento de processos comunicativos". (Texto 3 – Desafios contemporâneos à pedagogia da co-laboração na/em rede).
     Esses ciberespaços não devem ser considerados meros meios de diversão. É perceptível o seu caráter tanto social e recreativo como também de impacto na aquisição do conhecimento. No texto A co-laboração de/em programas livres, é abordado justamente as utilidades tecnológicas nos processos de interação social e de produção do conhecimento. Inicialmente diferencia-se softwares livres de softwares proprietários, e como os próprios nomes já sugerem, o livres proporcionam um acesso ampliado para mudanças e diversificações em seus usos. Em um fragmento do supracitado texto, observa-se que "o software livre fornece a sensação de liberdade ao seus eventuais usuários [...] pode tornar-se um programa enfim redimensionado por diferentes grupos - uma coletividade heterogênea espalhada por todo o mundo e interligada pela Rede, um grupo movido pela co-laboração denominado de comunidade".
     Pode-se depreender então o impacto de um software livre nas atividades interpessoais. Mais adiante, nesse mesmo texto, são apontados alguns desses softwares livres, sendo o Moodle e o Linux. Esses softwares contribuem diretamente no que o professor Athail Rangel chama de social-construcionismo, teoria que corrobora um processo de aprendizagem colaborativa, construída por meio de uma rede socio-construcionista, na qual os participantes contribuem para um aprendizado eficaz. E diante dessa pedagogia colaborativa, compreende-se a importância das redes tecnológicas nas múltiplas áreas sociais/humanas, especialmente no processo de ensino/aprendizagem.
Concordo com o seu posicionamento. Como aponta Rezende (2014), “Há a necessidade urgente de aproximação do universo e da cultura dos alunos, torna-se essencial contextualizar os processos de ensino e aprendizagem ressignificando as possibilidades educativas e o uso da tecnologia na escola e fora dela.” Dessa forma, junto com a aproximação entre as vivências dos alunos e o ambiente escolar, a utilização das ferramentas digitais permitiria uma prática de ensino mais flexível.


E em alguns casos, tem o material na escola, mas o professor não está capacitado (preparado) para tais mudanças, por que não procura se aperfeiçoar.

Diana Santana

Mensagens : 6
Data de inscrição : 19/03/2018
Idade : 32
Localização : JACOBINA

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Diana Santana em Dom Abr 01, 2018 12:53 am

Simone Luz Puglisel escreveu:
Cíntia Espírito Santo escreveu:As tecnologias digitais invadiram o mundo moderno e a maneira de viver dos seres humanos em todo o mundo, trouxeram inclusive, novas maneiras para se trabalhar a educação no âmbito escolar. A internet tem fascinado o mundo com suas multifuncionalidades, apresentou ao mundo uma nova maneira de se comunicar e produzir conhecimento, o que de fato é muito útil, porém ainda não é bem vista por todos quando se trata de trabalhá-las em sala de aula, de fato, utilizar a internet e suas multifacetas não são suficientes para agradar aos alunos de um modo geral, uma vez que podem ter acessos a uma infinidade de jogos educativos e prazerosos, diferente  da tecnologia usada em sala de aula por seus educadores.
     O professor moderno enfrenta atualmente um grande dilema: utilizar a internet e agradar aos discentes, fazendo-os entenderem o assunto, o que faz com que o professor tenha ainda uma tarefa ainda mais complexa em sala. Porém fazer uso de atividades na rede pode fazer com que os alunos realizem um trabalho colaborativo, ajudando aos outros com seus conhecimentos e adquirindo novos, o que pode acontecer também com os seus tutores escolares.
     De fato, as redes sociais presentes no dia a dia de todos, já oferecem uma gama de conhecimentos extra classe o que ocasiona de o aluno algumas vezes chegar na escola com uma noção do assunto e às vezes até dominando certos temas, o que não é ruim pois pode proporcionar excelentes discursões em sala, uma vez que o aluno deve ser de fato o protagonista do seu aprendizado, cabe aqui o professor valorizar o aluno para assim apoiá-lo na busca pelo conhecimento.
     A aquisição de software livre pode ser muito útil, pois oferece vários recursos sem custos adicionais para seu uso, o que proporciona maior liberdade em seu uso, uma vez que o usuário pode realizar modificações, pois a partir do momento que adquire uma cópia ou realiza download do aplicativo ou programa, torna-se proprietário, o que proporciona  aos professores usarem no seu dia a dia escolar, transformando-o como desejar para melhor usar com seus alunos, essa liberdade pode deixar o aprendizado mais atraente e divertido.
     Vale ressaltar ainda que apesar de ter surgido na década de 1960, a internet ainda não é uma realidade para todos, apesar de estar difundida por todo o mundo, o que causa ai um novo tipo de desigualdade, a desigualdade de acesso à internet, neste caso, os alunos e professores enfrentam uma grande diversidade, de um lado um mundo conectado e com facilidades , de outro a dura realidade para adquirir novos saberes e concorrer em um vestibular por exemplo(no caso dos alunos), e ainda, a dura missão para os professores que precisam adequar-se à realidades diferentes para ajudar na aprendizagem de novos saberes.

Eu acredito que a maior dificuldade dos professores têm em inserir as TICs em sala de aula, seja a falta de preparo, em não saber de que forma deva fazer por exemplo, para usar o celular sem que os alunos se dispersem.

Diana Santana

Mensagens : 6
Data de inscrição : 19/03/2018
Idade : 32
Localização : JACOBINA

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Luana Lopes em Dom Abr 01, 2018 2:22 am

Ivânia Mota escreveu:
TRABALHO COLABORATIVO
Vivemos em um mundo globalizado, onde a sociedade hoje funciona a partir de diversos tipos de informações, sejam elas impressas, sonoras, televisivas e telemáticas, onde sentimos a necessidade de acompanhar as informações principalmente através das redes digitais, destacando-se a internet, que nos leva a um vasto campo de conhecimentos, contribuindo para o aprendizado de quem a usa, colaborando e muito com a educação no qual o professor já leva consigo seus conhecimentos,mas ao mesmo tempo esses conhecimentos podem se tornar bem mais amplo com a prática da tecnologia digital na sala de aula, porém não basta está conectado a esse campo virtual, por exemplo, para assegurar que eles serão alcançados de maneira completa e eficaz é preciso um trabalho de reflexão em conjunto. O trabalho colaborativo entre professores faz parte de um vasto campo de conhecimento no qual permite reconhecer seu poder, fragilidade, incerteza e necessidade de se reconstruir, de se socializar a prática de conhecimentos, a formação cultural e a mudança de suas práticas pedagógicas, onde todos se encontram na condição de aprendizes e educadores no qual podem dá opiniões coletiva sendo possível a partir de uma liberdade intelectual dos sujeitos.
Concordo com você ao seu posicionamento em que temos que acompanhar as informações, e que as tecnologias nos leva a um vasto campo de conhecimentos ,e o professor diante desse leque de informações precisa estar atento,sempre buscando informações visto que ninguém sabe tudo nesse processo de aquisição de conhecimento é uma troca.


Luana Lopes

Mensagens : 4
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

RE: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Naiara12 em Dom Abr 01, 2018 12:52 pm

Não há como negar a tecnologia faz parte do dia a dia de crianças, adolescentes e adultos. E isso impacta diretamente na relação professor e aluno. Docentes que resistem à inclusão da tecnologia em sua prática pedagógica acabam por tornarem-se desatualizados do mundo tecnológicos. Por outro lado, professores capazes de tirar proveitos dos benefícios que a tecnologia pode trazer aos processos de ensino e aprendizagem são capazes de atuar de maneira mais atraente e inovadora junto aos seus alunos.
Entretanto, é importante ressaltar que a tecnologia, por si só, não é capaz de transformar a pratica de um professor que estudou anos e anos pra aquilo. Mas, se usada de modo contextualizado, ela é capaz de aproximar a rotina em sala de aula daquilo com que os alunos já estão acostumados na vida real, estreitando o relacionamento entre professor e aluno, que passam a compartilhar da mesma realidade. Assim, recursos como tablets, lousas digitais, aplicativos e acesso à internet via Wi-Fi, permitem que as aulas de muitos professores ganhem vida nova, podendo apresentar os conteúdos disciplinares aos seus alunos por meio de plataformas verdadeiramente atraentes.

Naiara12

Mensagens : 4
Data de inscrição : 01/04/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Comentário à resposta de Naiara.

Mensagem por Sara Ramos em Dom Abr 01, 2018 9:32 pm

Naiara12 escreveu:Não há como negar a tecnologia faz parte do dia a dia de crianças, adolescentes e adultos. E isso impacta diretamente na relação professor e aluno. Docentes que resistem à inclusão da tecnologia em sua prática pedagógica acabam por tornarem-se desatualizados do mundo tecnológicos. Por outro lado, professores capazes de tirar proveitos dos benefícios que a tecnologia pode trazer aos processos de ensino e aprendizagem são capazes de atuar de maneira mais atraente e inovadora junto aos seus alunos.
Entretanto, é importante ressaltar que a tecnologia, por si só, não é capaz de transformar a pratica de um professor que estudou anos e anos pra aquilo. Mas, se usada de modo contextualizado, ela é capaz de aproximar a rotina em sala de aula daquilo com que os alunos já estão acostumados na vida real, estreitando o relacionamento entre professor e aluno, que passam a compartilhar da mesma realidade. Assim, recursos como tablets, lousas digitais, aplicativos e acesso à internet via Wi-Fi, permitem que as aulas de muitos professores ganhem vida nova, podendo apresentar os conteúdos disciplinares aos seus alunos por meio de plataformas verdadeiramente atraentes.
Exatamente Nai, também penso assim. Mas, vale ressaltar que a aula por si só deveria ser vista de forma atraente, pois o conhecimento é algo maravilhoso, poderoso e jamais poderá ser tirado de nós. O não reconhecimento desse potencial sempre foi um grande empecilho para a educação brasileira. É preciso o amadurecimento de grande parte dos jovens, para perceberem a importância e o valor que a educação tem em suas vidas, somente dessa forma toda a produção do saber será adquirida de forma efetiva, e só isso já bastaria. bounce
avatar
Sara Ramos

Mensagens : 5
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Comentário à resposta de Acsa.

Mensagem por Sara Ramos em Dom Abr 01, 2018 9:45 pm

Acsa Santana escreveu:Os seres humanos diferente dos animais criam a todo instante, novas formas de comunicação, por meio das TCI (Tecnologias, informações, e comunicações) pode-se perceber que esse surgimento é constante, fazendo com que as tecnologias por mais que sejam úteis, estejam em movimento de evolução, fazendo com que o termo “novas  tecnologias” se torne praticamente inutilizável. É nessa linha de pensamento que um profissional da educação juntamente com a instituição em que ensina, analisem a importância da inserção de métodos colaborativos/educativos na escola, que levem meios de comunicação de Rede conhecidos e acessíveis aos alunos. Isso porque, se na sociedade externa a escola (externa a sala de aula), a frequência com que se usam tais meios é evidente, significa que estudantes devem ser preparados para utiliza-los, mas utiliza-los de forma a absorver conhecimento, não apenas fazer uso aleatório.
   No entanto ainda hoje, século XXI, há uma resistência ao método colaborativo baseado na utilização das tecnologias em sala, alguns obstáculos são encontrados por aqueles que as defendem, o ensino tradicional por ser o mais fácil, ainda é o mais utilizado, aquele em que há um professor, os alunos, o conteúdo a ser passado e o quadro... Os que mexem nesse sistema procuram demonstrar que o aluno não é uma tábula rasa, ou seja, os seus saberes tecnológicos, por exemplo, podem juntar-se aos saberes de outros e com isso gerar um saber coletivo. O processo é trabalhoso, por isso, aderi-lo se torna além de uma tarefa de coragem (mostrar que o professor não é autônomo no processo de ensino/aprendizagem. Pois seus alunos sempre saberão algo que ele não sabe), é também uma tarefa de demonstração e utilização de conhecimentos individuais, formando assim, pessoas criativas e pensantes, não apenas repetitivas e copiadoras.  Exclamation  
     
Gostei do seu posicionamento Acsa, bastante otimista! O professor enquanto profissional, deve sempre aprimorar sua metodologia e relação com seus alunos. Porém, não é sempre que essas mudanças hoje, podem ser realizadas com sucesso, devido a vários fatores externos a cada professor, a baixa infraestrutura das escolas públicas no Brasil é uma delas. Infelizmente o campo da Educação brasileira nunca foi prioridade do nosso governo.
avatar
Sara Ramos

Mensagens : 5
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Jaiara Freitas em Seg Abr 02, 2018 10:01 am

Ivânia Mota escreveu:
TRABALHO COLABORATIVO
Vivemos em um mundo globalizado, onde a sociedade hoje funciona a partir de diversos tipos de informações, sejam elas impressas, sonoras, televisivas e telemáticas, onde sentimos a necessidade de acompanhar as informações principalmente através das redes digitais, destacando-se a internet, que nos leva a um vasto campo de conhecimentos, contribuindo para o aprendizado de quem a usa, colaborando e muito com a educação no qual o professor já leva consigo seus conhecimentos,mas ao mesmo tempo esses conhecimentos podem se tornar bem mais amplo com a prática da tecnologia digital na sala de aula, porém não basta está conectado a esse campo virtual, por exemplo, para assegurar que eles serão alcançados de maneira completa e eficaz é preciso um trabalho de reflexão em conjunto. O trabalho colaborativo entre professores faz parte de um vasto campo de conhecimento no qual permite reconhecer seu poder, fragilidade, incerteza e necessidade de se reconstruir, de se socializar a prática de conhecimentos, a formação cultural e a mudança de suas práticas pedagógicas, onde todos se encontram na condição de aprendizes e educadores no qual podem dá opiniões coletiva sendo possível a partir de uma liberdade intelectual dos sujeitos.

Ivânia, concordo com seu posicionamento, principalmente, referente ao foto de sentirmos necessidades de se manter conectados e de acompanhar as diversas informações produzidas, pois também vejo a internet como um mecanismo de adquirir e produzir conhecimentos. Outro ponto que achei interessante, foi quando mencionou que todos se encontram na condição de aprendizes e educadores. Isso porque, acredito que cada indivíduo é detentor de conhecimentos e o compartilhamento, as discussões e reflexões entre professores e alunos são importantes para o processo de aprendizagem e, também, para o aprimoramento das práticas pedagógicas dos docentes.

Jaiara Freitas

Mensagens : 4
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

O ensino permeado pelos ideais da co-laboração

Mensagem por Luciana em Seg Abr 02, 2018 7:25 pm

Pensar nas relações que permeiam os campos do ensino frente aos dispositivos tecnológicos em conjunto com as tecnologias da comunicação e informação e da co-laboração requer um olhar sensível e crítico diante da construção de conhecimento, em especial do saber coletivo, em especial por estramos imergidos no universo das fervorosas ferramentas de interação afetiva, cultural, intelectual, social, política, ideológica. Diante de tal realidade, cabe o questionamento que problematiza a ação educativa frente as vivências permeadas pelas tecnologias, visto que essa é uma prática comum fora da escola.
O que se pretende é pensar na ação educativa que ainda hoje: utiliza metodologias centradas na transmissão do conhecimento, em via unilateral – professor-aluno –; em como o sistema educacional pensa a escola frente as tecnologias, visto que espaço físico, dispositivos, provedores de internet em conjunto com a formação continuada são fundamentais para o trabalho pedagógico nessa perspectiva; e ainda, como a proposta pedagógica da escola projeta suas teorias, metas, objetivos, ações diante dessa realidade que confronta o histórico tradicionalista, fragmentado, individualista da construção do saber, por ser reconhecida por estudiosos, pesquisadores, como uma mudança significativa de ensino aprendizagem.
Significativa por serem mediadas pelas tecnologias e partirem de fora da escola – uso no cotidiano – para dentro dela, uma vez que os alunos em grande maioria já as utilizam; pela necessidade de serem entendidas não apenas como equipamentos ou ferramentas, mas pelos processos que permeiam a interação entre pessoas, saberes, culturas, subjetividades; por acreditar e viabilizar a autonomia do aluno e professor, e na construção coletiva do conhecimento – Inteligência coletiva; por dinamizar o ensino, ao não ficar limitado ao livro didático, por significar o conhecimento utilizando imagens, sons, representações, multimídia, interação on-line em tempo real, ou offline; por possibilitar ao aluno a exposição dinâmica de seus posicionamentos e construções, ao utilizar outras ferramentas que não são a escrita; por valer-se da construção e disseminação colaborativa, coletiva do saber.
Diante de tal realidade e possibilidade de ensino se deve pensar em estratégias viáveis para o trabalho com tecnologias na escola, e isso envolve questões estruturais, de formação e conhecimento, planejamento, de busca por políticas públicas para esse fim, já que metodologias arcaicas, fragmentadas, tradicionais, dominantes já não se firmam mais.

Luciana

Mensagens : 4
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Luciana em Seg Abr 02, 2018 8:12 pm

Jucicleia Xavier dos sant escreveu:
Priscilla Gomes Correia escreveu:No processo ensino-aprendizagem, as tecnologias precisam estar ao alcance de todos. Nessa nova fase de aprendizagem com integração das mídias, tudo começa a falar com tudo e com todos. Tudo pode ser divulgado em alguma mídia, todos podem ser produtores e consumidores de informações. O mundo físico se reproduz em plataformas digitais e todos os serviços começam a ter a possibilidade de serem realizados física ou virtualmente.
As mudanças que estão acontecendo na sociedade, mediadas pelas tecnologias em rede, são bem amplas, e com tudo isso acontecendo teremos que reinventar a educação como um todo.
As tecnologias permitem mudanças profundas e evoluem muito rapidamente. No universo virtual, todos em um clic se integram em redes formadas por quem tem interesses comuns. As redes sociais é um atrativo da comunicação que chega nas salas de aula, por essa razão, é preciso rever, ampliar e recontextualizar os conceitos de ensino. As redes sociais permitem que um mesmo objetivo de interesse seja debatido a partir de múltiplas vozes e que o conhecimento seja produzido de forma colaborativa.
Um dos desafios para o professor, é estabelecer com o estudante uma relação de ensino-aprendizagem que concilie os interesses deles com os objetivos pedagógicos, explorar o universo virtual no ambiente escolar possibilita também o acesso a conteúdos em formatos variados. Uma escola conectada à vida do aluno não pode descartar os recursos e as ferramentas tecnológicas e ela é permeada pela aprendizagem significativa, uma aprendizagem autônoma.
A atuação do professor deve objetivar a formação para a liberdade, buscar o desenvolvimento das potencialidades dos alunos para que se tornem indivíduos capazes, cidadãos conscientes e singulares. As tecnologias são parte de um processo muito mais rico e complexo, que é gostar de aprender e de ajudar a outros que aprendam numa sociedade em profunda transformação. Quanto mais a tecnologia avançada, mais a educação precisa de pessoas evoluídas e inovadoras.  
Very Happy Smile Razz
Concordo Pri, se a tecnologia está se ampliando  cada vez mais, então é interessante que todos venha ter acessos em geral.

É interessante você falar sobre a produção e consumo de informações, uma vez que o professor deve priorizar a formação crítica do aluno diante da utilização das TICs. Essa formação parte da competência do aluno fundamentar as informações e posicionamentos compartilhados, e filtrar aquelas que chegam até ele. Um estratégia importante nesse contexto é a pesquisa, o questionamento, o confrontamento de ideias, posições

Luciana

Mensagens : 4
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Kelly Barbosa Silva em Seg Abr 02, 2018 8:23 pm

É notório que em todos os espaços da sociedade percebemos a presença da tecnologia no dia a dia das pessoas, principalmente dos jovens. A ascensão e o desenvolvimento acelerado das tecnologias têm transformado o mundo, em toda a parte a informática tornou-se uma importante ferramenta de trabalho e a vida virtualmente conduzida por aplicativos e redes sociais têm influenciado maneiras de comportamento e costumes.
    Diante disso, a escola, enquanto estabelecimento imprescindível à socialização e formação de crianças e adolescentes tem sido pressionada a interatuar com esse mundo tecnológico em favor do ensino e aprendizagem. É notável que o uso dessas tecnologias pode tornar a aprendizagem mais expressiva e sobretudo mais fascinante, contudo a simples instrumentalização das escolas não assegura o uso eficaz no processo educativo. Enquanto instrumento a tecnologia nada constrói e é desafiador a professores e gestores o ofício de dominar não só as tecnologias como também todas as suas possibilidades de utilização pedagógica. Nem sempre a rapidez das inovações corresponde à habilitação dos professores para sua utilização e aplicação. Para tanto, faz-se necessário que dos docentes se apropriem efetivamente dos processos tecnológicos, gerando assim, possibilidades de diversificação no processo de ensino/aprendizagem.
     Na contemporaneidade, dominar a tecnologia representa um dos principais meios de admissão social e em um espaço escolar onde a aprendizagem considera este aspecto da realidade, o conjunto de suas influências e as inter-relações que se constituem com os objetos de aprendizagem potencializa o alargamento das habilidades cognitivas. O procedimento educativo torna-se, assim, mais aberto e dinâmico, resultando na rescisão de práticas pedagógicas baseadas na unilateralidade da relação professor e aluno.
     Outro ponto importante a ser explanado diz respeito as TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação), formas tecnológicas distintas de comunicar e informar por meio das funções de hardware, software e telecomunicações podendo serem empregadas em múltiplos segmentos, inclusive nesse processo de aprendizagem. A inserção das TICs na educação pode ser um importante instrumento para a melhoria desse processo. No entanto, para a inserção dessas tecnologias na educação, de forma positiva, é indispensável a aderência de alguns fatores: o domínio do professor sobre as tecnologias e sua utilização, outro fator importante é que a escola tenha uma infraestrutura física e material de qualidade, possibilitando a utilização desses meios tecnológicos durante as aulas, além disso precisa que os governos invistam em capacitação permitindo que o  professor possa modernizar-se diante das transformações e ao progresso tecnológico, e  que o professor se mantenha motivado para estudar, aprender e dinamizar em sua prática pedagógica. Dessa maneira, pode-se assim, produzir um processo colaborativo de ensino e aprendizagem adequando as tecnologias a escola.
avatar
Kelly Barbosa Silva

Mensagens : 6
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Naiara12 em Seg Abr 02, 2018 8:33 pm

Carla Gislene Oliveira escreveu:    As tecnologias perpassam o tempo, e cada vez mais estamos inseridos nesse contexto tecnológico.Uma modernização rápida, ampliando a possibilidade de inserção a novos conhecimentos.
   É notável o crescimento da comunicação através das redes digitais, principalmente pela internet. Relações que compartilham desde trocas intelectuais, sociais, conversas informais ,numa perspectiva coletiva para construir novas ideias, visto que, ninguém tem uma história igual à de outra pessoa.
  As tecnologias digitais ainda são resistentes a alguns profissionais da educação, talvez  pelas praticas pedagógicas continuarem pautadas em velhos paradigmas , onde o professor é o detentor do saber ou por não terem pratica no manuseio dessas. Assim, as tic  entram na escola apenas como dispositivos técnicos , o que não proporciona nenhuma mudança no processo educativo.
  O ciberespaço precisa ser concebido como lugar de inovação , de co-laboração social, politica e de mobilidade das praticas pedagógicas. Para tal, é preciso que o professor enquanto mediador, auxilie o usuário desse espaço a trabalhar com as informações de maneira consciente , construindo o conhecimento coletivamente.
  O trabalho colaborativo implica o desenvolvimento de processos interacionistas, que visam encorajar os sujeitos a atuarem em coletivo para a construção de diferentes conhecimentos e saberes. Não existe um único detentor do conhecimento, todos se alternam nos papeis de educadores e educandos , compartilhando informações ininterruptas e significáveis.
  Segundo o professor doutor Athail Rangel, todo aprendizado eficaz sempre resulta na construção de algum artefato passível de uso por parte de outros - uma anotação, uma mensagem eletrônica, uma imagem, ou um programa para computador,por exemplo.
  A atividade colaborativa mediada pelas redes digitais tem seus desafios, visto que, não é fácil transgredir um movimento "linear" de ensinar e aprender, construído ao longo da história.


Concordo com a justificativa de Carla a respeito dessa resistência que ainda encontramos com o uso dessas tecnologias, já progredindo muito, mas ainda há bastante a ser feito.

Naiara12

Mensagens : 4
Data de inscrição : 01/04/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Kelly Barbosa Silva em Seg Abr 02, 2018 8:58 pm

Ivânia Mota escreveu:
TRABALHO COLABORATIVO
Vivemos em um mundo globalizado, onde a sociedade hoje funciona a partir de diversos tipos de informações, sejam elas impressas, sonoras, televisivas e telemáticas, onde sentimos a necessidade de acompanhar as informações principalmente através das redes digitais, destacando-se a internet, que nos leva a um vasto campo de conhecimentos, contribuindo para o aprendizado de quem a usa, colaborando e muito com a educação no qual o professor já leva consigo seus conhecimentos,mas ao mesmo tempo esses conhecimentos podem se tornar bem mais amplo com a prática da tecnologia digital na sala de aula, porém não basta está conectado a esse campo virtual, por exemplo, para assegurar que eles serão alcançados de maneira completa e eficaz é preciso um trabalho de reflexão em conjunto. O trabalho colaborativo entre professores faz parte de um vasto campo de conhecimento no qual permite reconhecer seu poder, fragilidade, incerteza e necessidade de se reconstruir, de se socializar a prática de conhecimentos, a formação cultural e a mudança de suas práticas pedagógicas, onde todos se encontram na condição de aprendizes e educadores no qual podem dá opiniões coletiva sendo possível a partir de uma liberdade intelectual dos sujeitos.

Gostei do seu posicionamento Ivânia, é interessante pensar no professor como mediador e um ensino plurilateral associado ao uso dessas tecnologias, em especial da internet para que, a partir disso se desenvolva um trabalho colaborativo.
avatar
Kelly Barbosa Silva

Mensagens : 6
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Bruna Araújo em Seg Abr 02, 2018 9:44 pm

Sara Ramos escreveu:
Na sociedade moderna usamos a escrita e a leitura, os signos mediadores o tempo todo em práticas muito diferenciadas, inclusive que não são valorizados pela escola. Em nossas práticas sociais nos comunicamos não apenas por meio de palavras, mas também de sinais, gestos e imagens, entre outros recursos que configuram a comunicação como um evento multimodal que agrega diversos modos e recursos, independente do meio pela qual ela se realize, seja oral ou escrito, impresso ou digital. As múltiplas linguagens, ou multimodalidades, estão envolvidos em toda produção ou leitura dos textos e cada modalidade tem suas potencialidades de representação e de comunicação, produzidas culturalmente. Ao utilizarmos esses recursos de aprendizagem, na tentativa de buscar formas de falar com imagens, vídeos e outras formas de diálogo, estabelecemos uma relação (multimodalidade). Não há como negar que avanços nas Tecnologias Digitais da Comunicação e Informação têm proporcionado mudanças consideráveis em nossa sociedade em diferentes aspectos, tais como pessoal, social, cultural e educacional. Há a necessidade de que a tecnologia seja discutida como um meio, não um fim, e isso nos remete ao letramento digital relacionada à capacidade de os indivíduos utilizarem as tecnologias digitais em ambiente educacional com o objetivo de facilitar o processo de ensino-aprendizagem, buscando mostrar a importância das tecnologias digitais da comunicação e informação como novas formas de mediar o conhecimento e do próprio educando selecionar sua forma de educação, havendo autonomia e voz dentro da sala de aula numa relação colaborativa com seu educador e colegas. Razz
Concordo Sara a introdução das TICS na escola tem proporcionado novos papeis para o professor. Aprender a lidar com a máquina não é mais suficiente, é preciso está atento as novidades, explorar formas de usufruir do potencial da tecnologia.Acredito também que a tecnologia por si só não garante a qualidade de ensino e limites e possibilidades e em contextos de trabalhos colaborativos.

Bruna Araújo

Mensagens : 2
Data de inscrição : 20/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

As TICs e o trabalho colaborativo no ambiente escolar

Mensagem por Alessandra de MoraisLeite em Seg Abr 02, 2018 10:04 pm

O advento das TICs provocou transformações, nas relações sociais, à medida que interação e os processos comunicativos passaram a ser produzidos em escola global. O ambiente virtual rompeu as barreiras geográficas e espaciais, permitindo que os usuários estabelecessem contato com diversas pessoas espalhadas pelo mundo, trocando informações e conhecimentos que enriquecem tais relações e contribuem para um saber interligado. Como consequência desse novo comportamento social, o uso das mídias digitais tornou-se indispensável e recorrente, uma vez que viabiliza as interações virtuais de seus usuários. Essas mídias passaram, pois, a fazer parte do cotidiano da maioria das pessoas e se prestam como ferramenta imprescindível no processo de comunicação e informação.
Frente a essa realidade a escola não pode se mostrar indiferente quanto ao uso das TICs no processo ensino-aprendizagem, dado que são bastante relevantes para desenvolver um trabalho colaborativo e autônomo, em sala, no qual os discentes interajam e compartilhem saberes múltiplos. Tal fato é corroborado nos textos em análise, cujo foco é justamente o “trabalho colaborativo na /em rede”. Percebeu-se que no aprendizado colaborativa o discente é o eixo das intervenções pedagógicas, sendo responsável por seu próprio aprendizado. A colaboração na/ em rede contribui para a emancipação do alunado, tornando-o autônomo no processo de aquisição e produção de novos saberes e conhecimentos. O aluno sai da condição passiva em que se encontra na pedagogia tradicional e torna-se protagonista, ativo, participando das trocas contínuas de conhecimento, socializando as diferentes experiências vivenciadas. O aprendizado, dessa forma, ganha maior amplitude e dimensão. A colaboração na /em rede possibilita ao aluno uma maior interatividade, através da participação criativa, possibilitando, como se observa no texto, que ele navegue, explore e interaja por meio dos suportes para comunicação no ambiente virtual.
Neste contexto evidencia-se a importância de ferramentas como o Moodle, Webquest, Linux, Wikipédia, Twiki, softwares livres que possibilitam a intervenção e interferência de todos, de um modo que podem ser utilizados segundo a perspectiva de aprendizagem adotada. Essas novas ferramentas rompem com a lógica linear da pedagogia tradicional, que traz uma concepção intuicionista e conteudista, com transmissão de conhecimentos prontos, acabados, cabendo ao aluno apenas decorar e reproduzir. No trabalho colaborativo, ao contrário, as práticas pedagógicas são dinâmicas e potencializadoras do conhecimento mediado pelas TICs. O aluno pode participar ativamente, no processo de ensino-aprendizagem com ações, reações e intervenções, que o tornam, concomitantemente, emissor e receptor dos conhecimentos. Na atividade colaborativa há uma troca de papeis entre educadores e educandos, numa atividade colaborativa ininterrupta e extremamente rica em ressignificações como os textos muito bem ratificam e salientam. Nesta perspectiva, porém, vale ressaltar que o ensino tradicional ainda apresenta desafios e limitações para a implantação de uma pedagogia colaborativa, devido tanto à insuficiência no desenvolvimento ou aperfeiçoamento tecnológico quanto e, principalmente, por deparar com preconceitos e resistências presentes na cultura escolar. Dessa forma, não há um reconhecimento do ciberespaço enquanto lugar de inovação das praticas pedagógicas, em que os alunos podem intercambiar, trocar e negociar os diferentes saberes, sendo, pois, protagonistas no processo de ensino-aprendizagem.
avatar
Alessandra de MoraisLeite

Mensagens : 6
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Alessandra de MoraisLeite em Seg Abr 02, 2018 11:56 pm

Sara Ramos escreveu:
Na sociedade moderna usamos a escrita e a leitura, os signos mediadores o tempo todo em práticas muito diferenciadas, inclusive que não são valorizados pela escola. Em nossas práticas sociais nos comunicamos não apenas por meio de palavras, mas também de sinais, gestos e imagens, entre outros recursos que configuram a comunicação como um evento multimodal que agrega diversos modos e recursos, independente do meio pela qual ela se realize, seja oral ou escrito, impresso ou digital. As múltiplas linguagens, ou multimodalidades, estão envolvidos em toda produção ou leitura dos textos e cada modalidade tem suas potencialidades de representação e de comunicação, produzidas culturalmente. Ao utilizarmos esses recursos de aprendizagem, na tentativa de buscar formas de falar com imagens, vídeos e outras formas de diálogo, estabelecemos uma relação (multimodalidade). Não há como negar que avanços nas Tecnologias Digitais da Comunicação e Informação têm proporcionado mudanças consideráveis em nossa sociedade em diferentes aspectos, tais como pessoal, social, cultural e educacional. Há a necessidade de que a tecnologia seja discutida como um meio, não um fim, e isso nos remete ao letramento digital relacionada à capacidade de os indivíduos utilizarem as tecnologias digitais em ambiente educacional com o objetivo de facilitar o processo de ensino-aprendizagem, buscando mostrar a importância das tecnologias digitais da comunicação e informação como novas formas de mediar o conhecimento e do próprio educando selecionar sua forma de educação, havendo autonomia e voz dentro da sala de aula numa relação colaborativa com seu educador e colegas. Razz

Concordo com você, Sara. Acredito que com o advento tecnológico a escola não tem como ficar indiferente a essa nova realidade. Ela precisa incorporar no processo de ensino, as Tecnologias de Informação e Comunicação, mas segundo propósitos claros e definidos, para que o seu possíveis benefícios e contribuições ao aprendizado não venha se perder. É preciso ter uma pedagogia bem definida e com objetivos que visem o trabalho colaborativo em sala de modo produtivo e dinâmico.
avatar
Alessandra de MoraisLeite

Mensagens : 6
Data de inscrição : 19/03/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRABALHO COLABORATIVO

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum